Morte – por Arlindenor Pedro

Imagem recolhida na plataforma pública Tumblr, para fim não comercial .

A primeira vez que ele viu a morte foi com o pai do seu amigo Itaci – o  Álvaro , e ela o levou. Foi muito estranho: ele começou a respirar mais acelerado e de repente parou…ficou com os olhos e a boca aberta.Então, ele chamou as pessoas da casa: -eu acho que o Sr. Alvaro está morrendo! Gritou bem forte. Da cozinha acudiram todos.

 

A Maria, amiga da familia, pegou um espelho e pôs na boca do doente, para ver se ele estava respirando. Não estava. O choro desabou, embora que durante os dias da sua agonia, todos sabiam que não tinha mais condições de viver- estava moribundo..

 

A cada dia, ele ficara esperando a morte chegar para levar o pai do seu amigo, num sentimento sádico que não conseguia reprimir.Foi então  que pediram para ele segurar a cabeça do morto, para tirar o corpo da cama e coloca-lo numa mesa fúnebre que ficaria na sala, para a exposição – a visita das condolências. Enquanto  segurava a cabeça do morto inadvertidamente soltou – a : ela bateu com força na madeira, fazendo um barulho oco, aterrador. Todos olharam com ar de reprovação.

 

Mas… o espetáculo do enterro apagaria aquela lembrança. Um grande funeral: a viuva de preto, os filhos bem vestidos, os chapéus das mulheres, o ar de elegância das pessoas do Grajaú, nos anos-dourados. Sentiu-se como numa fita de cinema, daqueles que via na Praça Saens Penna que acabavam  com letreiro  The End .Tinha então 15 anos.

 

Serra da Mantiqueira,dezembro de 2011.

Arlindenor Pedro 

Qual sua opinião ?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s