A teoria da dissociação sexual e a teoria crítica de Adorno – Roswitha Scholz

Nos anos 90 o feminismo académico foi dominado por teorias pós-estruturalistas. Ao contrário dos anos 70 e 80, as abordagens marxistas foram marginalizadas. Em vez de se buscar uma nova compreensão da totalidade, que estivesse em condições de explicar desenvolvimentos recentes, como a queda do socialismo real, houve uma viragem para concepções culturalistas. Continuar lendo A teoria da dissociação sexual e a teoria crítica de Adorno – Roswitha Scholz

Avalie isto: