Sartre por ele mesmo 

Vale a pena ter paciência e assistir este vídeo produzido por Pierre-André Boutang e Guy Selogmann para o Instituto Nacional do Áudiovisual de Paris, no ano de 1976 .

Jean-Paul Sartre (1905-1980), filósofo francês,  e um dos representantes da corrente de pensamento que convencionou-se chamar existencialismo , em uma entrevista rara,   mostra sua trajetória de vida e os acontecimentos políticos e sociais vividos por ele.

Em cerca de 03 horas de entrevistas Jean-Paul Sartre  vai respondendo a todas as perguntas feitas sobre sua vida, sua obra, e seu percurso intelectual e político. Filmado em seu apartamento ou no de Simone de Beauvoir, estão presentes além dos dois, Jacques-Laurent Bost, André Gorz, Jean Pouillon, Marie Olivier, François Périer e Serge Reggiani.

Sartre nos fala de sua infância com seus avôs, sua mãe, o casamento desta em segundas nupcias, sua vinda para Paris onde conhece Paul Nizan e em seguida Simone de Beauvoir, além de seus primeiros contatos com a filosofia e sua rejeição da psicanálise freudiana e do surrealismo em voga na época.

Inicialmente  Sartre nos relata que por  não se interessar pela política, irá para Berlim em pleno nazismo e  lá estudará a fenomenologia de Hegel. Será então, quando ao ficar preso num campo de prisioneiros, após ser capturado pelas tropas alemães em plena segunda guerra,   que despertará para o mundo. Até este momento ele havia ignorado o nazismo, a guerra civil da Espanha,etc,  dedicando-se totalmente a escrita do “O ser o nada” e quando publicou “A Náusea”.

Mas aí, vemos então , que ele  ao escapar do campo de prisioneiros,  inicia o seu despertar para a atuação política, que num primeiro momento  se fará  através do teatro, com a peça “As moscas” , falando de forma simbólica sobre o regime de Vichy.

Após a guerra sua obra se torna conhecida e célebre,  e este é um momento oportuno, pois  todos querem viver e esquecer a guerra. A França passara a respirar o existencialismo,  por ser algo além da filosofia,  que pode se tornar  uma forma de comportamento social.

Sartre e Beuavoir fundam a revista “Temps Modernes”, e passam a tomar parte ativa nos acontecimentos políticos, onde  Sartre se torna um intelectual engajado, ativo. Ele fala então sobre sua participação no partido comunista e sua saída, sobre a viagem à Cuba, sua militância sobre a questão da Argélia. Recusa o prêmio Nobel de literatura. E nos, também,  das jornadas de maio de 1968.

O documentário é o percurso, a trajetória de vida de Jean-Paul Sartre e de todos os acontecimento políticos e sociais vividos por ele. É um documento importante,   pois este personagem  é um dos grande ícones das grandes lutas travadas dentro do conceito de “lutas de classe ” que tiveram lugar no pós  guerra , mormente porque ele advoga o conceito de que o intelectual deve ser engajado, escolher um lado, nos grandes embates sociais de seu tempo.

Eles nos abre com seu modo de pensar portas para uma melhor compreensão da sociedade da mercadoria, tarefa em que estão engajados os intelectuais da contemporaneidade.

Vale  a pena, como dissemos,  conhecer o pensamento deste filósofo e, acredito este vídeo presta uma grande contribuição .

Arlindenor Pedro

Qual sua opinião ?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s