Hino à Rua – Canção dos Protestos de 2013

20131004-163916.jpg

“Existem dias que valem por cem anos ” – John Reed , autor de “Os 10 dias que abalaram
o mundo “

Um processo revolucionário não é algo simples de se entender devido a sua complexidade e pela sua multifacetada forma de se apresentar. Não se coloca com um início claramente identificável e nem mesmo com um fim que possamos determinar. O máximo que podemos ver dele são facetas, momentos no tempo e espaço, nos dando algumas idéias do que é naquele momento : sua hegemonia, seus personagens e momentos críticos .

Um dos elementos que ele nos deixa à mostra são suas manifestações culturais, expressas sob diversas formas,notadamente através da música, pintura, cinema ou outros tantos elementos estéticos .

Uma coisa é fato : um processo revolucionário traz à tona, pelo embate que trava entre os valores que saem de cena e os outros que afloram , aquilo que até um momento não era visível, aquilo que estava submerso e só era visto por uma pequena parte da sociedade , e que se expressam através de obras de arte, com um papel claramente definido de armas de mudanças da realidade pré existente .

Sem dúvidas vivemos um desses momentos e a riqueza cultural é iincrível, nos confrontando com os elementos ainda não capturados pela lógica da Sociedade do Espetáculo que tudo transforma em mercadoria.

Infelizmente estes momentos, além de serem muito fugazes, pois duram muito pouco tempo, rapidamente se transformam e suas manifestações originais logo desaparecem , como aquelas flores raras que duram apenas algumas horas, em um momento se apresentando de uma forma e em outro, capturado pelo sistema, de outra forma, perdendo sua característica inicial.

Deleitamos-nos, então, com essas manifestações que para alguns se mostram estranhas , embora sejam cotidianas para aqueles que conhecem as ruas.

Durante as recentes manifestações juvenis-populares de junho muitas destas obras foram produzidas no calor das lutas e o “Hino às ruas – Canção dos Protestos de 2013”, realizado pelo Baderna Midiatica é, sem dúvidas, umas das que se destacam .

Vejam e reflitam :

Arlindenor Pedro


Hino à Rua – Letra

Ela é mais que o asfalto onde eu piso
Ela é o caminho que nos leva à liberdade
Quando os povos oprimidos a conquistam
É a parte mais bonita da cidade
É ela quem escuta os nossos gritos
O riso, o choro, o lamento de dor
As bombas, disparos, os golpes brutais
De quem pratica a guerra e fala em paz

[Refrão]
Ela é dos cantos, das batucadas
É o povo unido quem a detém
É das bandeiras, das barricadas
Ela é de todos porque é de ninguém
Não é dos chefes, nem dos patrões
Não é uma posse, não é um bem
Nem dos Estados, nem das nações
Ela é de todos porque é de ninguém

English:

She is more than the asphalt floor where I step
She is the path that leads us to freedom
When the oppressed people conquer her
She is the most beautiful part of the city
She is the one who hears our screams
The laughter, the crying, the moan of pain
The bombs, shootings, and brutal blows
Of those who practice war and talk about peace

[Chorus]
She is of the singing, of the drumming
It is the united people who holds her
She is of the flags, of the barricades
She is of everyone because she is of no one
She is neither of the chiefs, nor of the bosses
She is not a possession, she is not a property
Neither of the states nor of the nations
She is of everyone because she is of no one

Qual sua opinião ?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s