A Partida – Arlindenor Pedro

 

Os companheiros em fila,
os guardas que aguardavam.
No ar um grande silêncio- minutos que foram séculos.
(tanta coisa pra dizer!)
Na garganta um nó – a respiração ofegante,
o coração disparando.
Olhei – os, um a um.
A mente repassava os momentos,
os sonhos, os papos nas celas.
Chegara a minha vez.
Como outros, iria partir.
No íntimo a tristeza ( ou seria alegria ?).
Falei palavras que já não recordo:
trêmulo abracei a todos.
Minhas mãos seguravam as sacolas.
Transpus, então, as portas do “convívio”.
Lá fora novos rostos;
os amigos, os entes queridos.
Voltei os olhos para trás .
Das grades, mãos me acenavam.
Oh Deus, por que desaprendi a chorar?

Presídio Político de Bangu, 13 de fevereiro de 1976

Arlindenor Pedro

Qual sua opinião ?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s