Presença Constante – Arlindenor Pedro


Presente nos rostos.
Presente nos atos,
nas ruas, nas casas,
nas fábricas,nos escritórios.
Ser onipresente,
invisível (?)
Nos tempos escuros,
nos dias cinzentos
de choro-ranger de dentes.
Presença contante.
Dos homens das cidades, dos campos.
Inimigo feroz,
Tens o nome de medo.

Catete, 20 de agosto de 1976

“faz escuro,mas eu canto”
(Thiago de Mello)

Arlindenor Pedro

Qual sua opinião ?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s