Não se engane com o instante…da vida no seu constante ( balada para noites filosóficas )

  
Por Arlindenor

Canto I

Olha as luzes, com a chegada da manhã.

O sol empurrando as estrelas, do céu.

São momentos, de aparente indecisão : a luz que se espalha no negro da noite.

Mantém-se o dia, portanto.

Vencido o negro da noite.

Mas, não se engane com o instante da vida no seu constante.

Olha a noite, envolvendo o horizonte.

A lua mudando as luzes do céu.

São momentos de aparente indecisão : a noite se espalha e expulsa a luz.

Mantém-se a noite, portanto.

Vencido o sol que declina.

Mas não se engane com o instante

Da vida no seu constante.

Serra da Mantiqueira, março de 2012

Basta seguir o ritmo …

12 comentários sobre “Não se engane com o instante…da vida no seu constante ( balada para noites filosóficas )

    1. Os dias amanhecem
      as noites chegam pra lembrar
      um dia,de uma noite especial
      assim,
      num vai e vem, num leva e traz
      de emoção,
      de carinho,
      de despedida,
      de saudade
      de renovação
      de alegria!

      Curtido por 1 pessoa

  1. Rompido o equilíbrio
    de um jogo que se alterna,
    apolíneo, dionisíaco,
    ganhamos as verdades da vida.
    Verdades, últimas, inquestionáveis,
    que nos dão a visão do real.

    Mas, as surpresas do não dito,
    que não cabem nos parâmetros do visível,
    nos levam para além das fronteiras,
    no imaginário do ainda-não-presente .
    Um novo momento, capaz de ser vivido
    no astuciar do futuro que chega.

    Como num vai e vem,
    nesse leva e traz ,
    rompe-se o equilíbrio
    do reinado de Apolo, da razão inquestionável.
    Instaurada, se faz,então, as desordens dionisíacas
    que nos levarão além das paredes azuis .

    Curtir

  2. Esse azul…
    Um lindo azul hortênsia,
    que todo ano floresce ,morre..
    Assim, num ciclo de vida e morte,
    do novo e do velho,
    do que se rompe e do que se reata.
    Que rapidamente nos espanta.
    e lentamente vai nos trazendo à realidade.
    Nesse Vai e Vem, nesse Leva e Traz.

    Curtir

  3. A guerra silenciosa de nossos pensamentos e ações …cegas de si para si mesma,caminhando incólumes para o lugar que no fim é comum para todos,não se tocam não se multiplicam sobre elas…fazem do mundo uma prisão de paredes azuis…!

    Curtir

    1. Eterno retorno que num espiral
      Apenas nos dizem que o viver
      E apenas isso…o ato de viver
      Cabendo, portanto, vive-lo
      Na mais profunda da sua intensidade
      De um vida-vivida,
      Alargando por isso,
      As paredes azuis do
      Seu contorno…

      Curtir

  4. A Guerra passou
    ainda assim, estranha e contraditoriamente
    ouvimos bombardeios por toda a parte
    a inundar nosso corpo e alma.
    Se não nos libertamos do estampido que persiste, é porque nossa “guerra Interna” não nos abandonou …
    Confusões mentais, tristezas.
    Coração infartado e dolorido.
    Guerra e Paz!
    Não se engane com a rapidez da vida
    Não se assuste com a lentidão da morte.

    Curtir

  5. Amigos e Alegres.
    Distantes, estranhamente distantes,
    Nesse Vai e Vem da Vida
    que engana, sonha, mas acorda.
    O sol, sempre nascerá apontando-nos a realidade.
    Nesse Vai e Vem
    Nesse leva e Traz.
    Como reticências.
    Assim ,contraditóriamente:
    Realidade e Reticências.

    Curtir

    1. Momentos da vida,
      presentes pra sempre.
      Não saem da lembrança .
      Com o tempo se fundem
      com a dinâmica da existência.
      Ficção…realidade?

      Nesse Vai e Vem
      Nesse Leva e Traz
      Nos levam pra frente,
      Para outros momentos
      do futuro vivido no presente
      com as entranhas do passado vivido.

      Como reticências , à espera do novo,
      do nascer do sol.

      Curtir

  6. Gostei tanto dessa “balada”que me atrevo a falar um pouco de sentimentos e emoções “transitórias”, aparentemente “contraditórias”.
    Certo que não escrevo com a habilidade de um poeta.
    É so pra deixar um comentário, uma resposta, à linda “balada” que acabei de ler.

    A noite é linda, estrelada.
    primeira do outono.
    O Medo se apressa
    a encontrá-la, desnudada.
    A noite é linda, estrelada,

    As estrelas, uma a uma são contadas
    apenas a cadente rasga o céu.
    Já não há mais noite: nem linda, nem estrelada
    Num piscar de olhos o sol rompe o horizonte

    A Coragem irradia
    toda transparência ao novo dia.
    O dia é lindo, ensolarado.
    Não importa mais : Medo e Coragem se confundem
    Na tênue linha do horizonte.
    Nesse Vai e Vem,
    Nesse Leva e traz.

    Curtir

Qual sua opinião ?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s