Post fixo

Surfamos apenas as ondas do dia-a-dia – André Luiz B. Silva

A pandemia serviu para escancarar que a vida de milhões de brasileiros e brasileiras é supérflua e descartável. Aliás, algumas vidas sequer existiam para o governo, foram denominadas ‘invisíveis’ e apenas apareceram após a deflagração da doença. Continuar lendo Surfamos apenas as ondas do dia-a-dia – André Luiz B. Silva

Avalie isto:

Post fixo

Passar fome pela pátria – Maurílio Botelho

Não basta ressaltar a abominável convivência de superprodução e escassez: o sucesso absoluto do setor mais dinâmico da economia brasileira resulta necessariamente na transformação do “mercado interno” em algo secundário. Os milhões de brasileiros que recebem auxílio emergencial e temem o futuro sem esse frágil amparo monetário não foram apenas descartados pelo mercado de trabalho, são tão também dispensáveis como mercado consumidor. Continuar lendo Passar fome pela pátria – Maurílio Botelho

Avalie isto:

Post fixo

A democracia devora seus filhos – um livro em debate

Essa indeterminação histórica é o ponto de partida de Robert Kurz para discutir a relação entre fascismo e capitalismo. Em sua análise, o fascismo histórico aparece como um processo de gestação da democracia. A oposição entre fascismo e democracia erra porque apreende momentos ou etapas distintas de um mesmo processo histórico, manejando categorias abstratas (democracia, ditadura, liberdade) sem a sua respectiva moldura temporal Continuar lendo A democracia devora seus filhos – um livro em debate

Avalie isto:

Post fixo

À espera dos escravos globais- Robert Kurz

Por trás dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, da forma como os concebeu Montesquieu, há um “quarto poder” -o poder estrutural do sistema total de mercado. Desde Rousseau, esse ídolo econômico, que zomba de todo procedimento democrático, atende na teoria política pelo nome abstrato de “bem comum”. Ao jogo democrático sujeitam-se, portanto, somente alternativas predeterminadas (algo como a livre escolha entre a cruz e a caldeirinha), do modo como as concebem os cegos “processos naturais” da física social.
 Continuar lendo À espera dos escravos globais- Robert Kurz

Avalie isto:

Post fixo

A Ucranização do Brasil: o governo das milícias como modelo- Danilo Augusto de Oliveira Costa

A relação entre Ucrânia e Brasil começou aparecer com o uso de bandeiras ucranianas, entre elas a da milícia Pravyi Sektor, que se tornou posteriormente um partido da Ucrânia, em atos pró-bolsonaro. Recentemente diversas figuras do bolsonarismo começaram a também defender publicamente uma “ucranizaçao” do Brasil. É o caso do Deputado Daniel Silveira (PSL), que postou, no final de abril, no Twitter: “Está na hora de ucranizar o Brasil. Quem sabe o que foi feito lá [na Ucrânia] entenderá.”. E do comentário da bolsonarista Sara Winter, que lidera agora uma milícia armada chamada 300 do Brasil, dizendo que foi treinada na Ucrânia e que “chegou a hora de ucranizar”. Continuar lendo A Ucranização do Brasil: o governo das milícias como modelo- Danilo Augusto de Oliveira Costa

Avalie isto:

Post fixo

No estômago do monstro: a segunda rodada da CoronaCrise – Maurilio Lima Botelho

O estômago do monstro capitalista inchou de tal modo que sua fome só pode ser abreviada com volumes cada vez maiores de ração monetária. Mas não há cirurgia bariátrica que dê conta disso — estamos próximos de uma catástrofe financeira inédita. Continuar lendo No estômago do monstro: a segunda rodada da CoronaCrise – Maurilio Lima Botelho

Avalie isto:

Post fixo

um mundo cheio de alvos – Paulo Arantes

Com um estilo próprio, o professor Paulo Arantes nos brinda com o seu pensamento, discorrendo sobre a conjuntura amarga que está posta para nós . Vale a pena separar um tempo dentro desta pandemia para ouvir o professor – sem dúvidas uma das poucas vozes lúcidas nestes momentos de grande confusão teórica . Continuar lendo um mundo cheio de alvos – Paulo Arantes

Avalie isto:

Post fixo

Um cheiro de perfume podre: paranoia, negação e militares – André Márcio Neves Soares

O Brasil caiu numa armadilha sinistra. Duas trocas de ministros numa fase crucial da disseminação da epidemia mantêm o Ministério da Saúde de mãos atadas há mais de um mês, enquanto o presidente faz o diabo para acabar com o isolamento social e impor um medicamento inútil, com efeitos colaterais eventualmente graves. Por que essa obstinação? Para dar a ilusão de que existe cura pa Continuar lendo Um cheiro de perfume podre: paranoia, negação e militares – André Márcio Neves Soares

Avalie isto:

Post fixo

A informalidade dos informais: desintegração social no Brasil da pandemia- Maurilio Lima Botelho

A pandemia esgarçou o tecido social brasileiro e demonstrou as vísceras de uma estrutura social fragmentada, marcada por extremos econômicos e, principalmente, trouxe à tona a exclusão social, que agora não pode mais ser ignorada. Entretanto, de pouco vai adiantar esse choque de realidade se os instrumentos para enxergá-la permanecem sob os filtros de teorias bolorentas Continuar lendo A informalidade dos informais: desintegração social no Brasil da pandemia- Maurilio Lima Botelho

Avalie isto:

Post fixo

Ainda o novo coronavírus e o nosso enigma civilizatório – André Márcio Neves Soares

Os humanos são mais numerosos do que qualquer outro grande animal na história da Terra. E isso representa uma forma de desequilíbrio ecológico que não pode continuar para sempre. Em algum momento haverá uma correção natural Continuar lendo Ainda o novo coronavírus e o nosso enigma civilizatório – André Márcio Neves Soares

Avalie isto:

Post fixo

200.000 Cliques – Vale a Pena Comemorar !

Para nós hoje é um motivo de festa e como já fizemos em outras ocasiões estamos dividindo nossa alegria com vocês . Afinal, 200 mil cliques e mais de 5.500 assinantes representam muito para nós, num mar de pessoas totalmente envolvidas pela lógica do positivismo e também pelo negacionismo em ascensão. Continuar lendo 200.000 Cliques – Vale a Pena Comemorar !

Avalie isto:

Post fixo

Bem-vindo ao Estado suicidário – Vladimir Safatle

Você é parte de um experimento. Talvez sem perceber, mas você é parte de um experimento. O destino do seu corpo, sua morte são partes de um experimento de tecnologia social, de nova forma de gestão. Nada do que está acontecendo nesse país que se confunde com nossa história é fruto de improviso ou de voluntarismo dos agentes de comando. Até porque, ninguém nunca entendeu processos históricos procurando esclarecer a intencionalidade dos agentes. Saber o que os agentes acham que estão a fazer é realmente o que menos importa. Continuar lendo Bem-vindo ao Estado suicidário – Vladimir Safatle

Avalie isto:

Post fixo

História e Desamparo: Mobilização de Massas e Formas Contemporâneas de Anti-Capitalismo – Moishe Postone

Como é bem sabido, o período desde o início dos anos 70 tem sido marcado por transformações estruturais históricas massivas da ordem global, frequentemente entendidas como a transição do Fordismo para o pós-Fordismo (ou, melhor, do Fordismo para o pós-Fordismo [e] para o capitalismo global neoliberal). Esta transformação da vida social, económica e cultural, que implicou o enfraquecimento da ordem centrada no Estado de meados do século XX, foi tão importante como a transição anterior do capitalismo liberal do século XIX para as formas estatais intervencionistas e burocráticas do século XX. Continuar lendo História e Desamparo: Mobilização de Massas e Formas Contemporâneas de Anti-Capitalismo – Moishe Postone

Avalie isto:

Post fixo

Violência e Barbárie – Marildo Menegat

A dificuldade de se explicar a violência brasileira está associada a este problema, recorrente na tradição crítica, que reconhece os fundamentos do estatuto paradoxal da realidade como uma dualidade constitutiva do país, a qual, por um lado, se define pelas aspirações do padrão civilizatório ocidental – de um Estado de Direito dependente do mercado – e, às suas costas, se (de)forma, com ares de normalidade, a partir da convivência com os mais abjetos dos tratos das massas socializadas pela dinâmica produtora de mercadorias, um mundo de horrores Continuar lendo Violência e Barbárie – Marildo Menegat

Avalie isto:

Post fixo

A alienação dos desesperados – um ensaio de Joana Loureiro

O filme “A Noite dos Desesperados” (no título em inglês, “They Shoot Horses, Don’t They?”) foi aos cinemas no ano de 1969, retratando uma decadente sociedade americana atingida pela crise que assombrou o final dos anos 1920. 50 anos depois … Continuar lendo A alienação dos desesperados – um ensaio de Joana Loureiro

Avalie isto:

Post fixo

roswitha scholz e a crítica de um novo marxismo feminista – Taylisi Leite

Colhido em Lavra Palavra  A assim denominada atualmente “Nova crítica do valor” (tradução de Wertkritik) surgiu em 1986, organizada em torno da leitura da obra do Professor de Chicago Moishe Postone, e logo tomou os contornos de um fórum, a … Continuar lendo roswitha scholz e a crítica de um novo marxismo feminista – Taylisi Leite

Avalie isto:

Post fixo

A catástrofe como modelo – André Villar Gomez – Marcos Barreira

Agronegócio, crise ambiental e movimentos sociais durante o decênio 2003-2013 Imagem: Lady-Ktana O setor agropecuário é considerado o mais eficiente e competitivo da economia brasileira. Desde há alguns anos, ele vem ganhando mercados no exterior e garantindo o saldo positivo … Continuar lendo A catástrofe como modelo – André Villar Gomez – Marcos Barreira

Avalie isto:

Post fixo

Não pode haver intelectuais se não há leitores- Entrevista com Jürgen Habermas

Colhido em El País Borja Hermoso 8 MAI 2018 – 04:00 CEST Ao redor o lago de Starnberg, a 50 quilômetros de Munique, se amontoam sucessivas fileiras de chalés de estilo alpino. A única exceção às esmagadoras doses de melancolia, … Continuar lendo Não pode haver intelectuais se não há leitores- Entrevista com Jürgen Habermas

Avalie isto:

Post fixo

É preciso uma nova perspectiva de emancipação social

Colhido em krisis deutsche Version Conversa com Ernst Lohoff e Norbert Trenkle (grupo Krisis) sobre a crítica de valor, a crise fundamental do capitalismo e o crescente irracionalismo social (entrevista de Marcos Barreira e Javier Blank, Rio de Janeiro)[1] Gostaríamos … Continuar lendo É preciso uma nova perspectiva de emancipação social

Avalie isto:

Post fixo

O estouro da Modernidade – Com tostões e canhões -Robert Kurz

Inovação com armas de fogo, expansão pela guerra: Uma olhada à pré-história do trabalho abstracto É com uma persistência irredutível que se mantém o boato iluminista, segundo o qual o sistema produtor de mercadorias da Modernidade teria a sua origem … Continuar lendo O estouro da Modernidade – Com tostões e canhões -Robert Kurz

Avalie isto:

Post fixo

O Estado de Exceção é Religioso e Militarizado – Diogo Labrego de Matos

Editado no Blog da Consequência A origem etimológica do termo “abandono” reside na palavra bando. Com efeito, abandono consistia em uma prática humana primitiva de aplicação das leis em certos grupos sociais, bandos, em que os indivíduos condenados não eram … Continuar lendo O Estado de Exceção é Religioso e Militarizado – Diogo Labrego de Matos

Avalie isto:

Post fixo

Ascensão e queda do homem trabalhador – Norbert Trenkle

Ascensão e queda do homem trabalhador Para a crítica da masculinidade moderna A crise do trabalho é também uma crise da masculinidade moderna. Em sua identidade, o homem burguês moderno é constituído e estruturado de modo fundamental como trabalhador masculino … Continuar lendo Ascensão e queda do homem trabalhador – Norbert Trenkle

Avalie isto:

Post fixo

Feitiço de fundo de quintal – o PT, a crise e a economia política da barbárie – Marildo Menegat

O autor articula em três planos o argumento de que se chegou ao fim de um período curto da história recente do capitalismo, marcada por uma crise estrutural, em que ainda foi possível uma gestão da barbárie (administrar a regressão social sem rumo sobressaltos e rupturas abruptas da ordem institucional).

Continuar lendo Feitiço de fundo de quintal – o PT, a crise e a economia política da barbárie – Marildo Menegat

Avalie isto: